02 8 / 2014

intersideral:

Carlos Drummond de Andrade

intersideral:

Carlos Drummond de Andrade

01 8 / 2014

intersideral:

Carlos Drummond de Andrade

intersideral:

Carlos Drummond de Andrade

01 8 / 2014

(Fonte: intersideral)

01 8 / 2014

"O essencial sempre fica no fundo, esmagado pela superficialidade."

Caio F. Abreu - Limite Branco (via doabismoaoceu)

(Fonte: enttreaspas, via doabismoaoceu)

30 7 / 2014

"

É difícil a gente compreender bem as criaturas e não creio que possamos conhecer ninguém a fundo, a não ser os nossos próprios compatriotas. Pois os homens não são somente eles; são também a região onde nasceram, a fazenda ou o apartamento da cidade onde aprenderam a andar, os brinquedos que brincaram quando crianças, as lendas que ouviram dos mais velhos, a comida de que se alimentaram, as escolas que freqüentaram, os esportes em que se exercitaram, os poetas que leram e o Deus em que acreditaram. Todas essas coisas fizeram deles o que são, e essas coisas ninguém pode conhecê-las somente por ouvir dizer, e sim se as tiver sentido. Só pode conhecê-las quem é parte delas.


 

"

O Fio da Navalha, William Somerset Maugham

30 7 / 2014

"É muito raro encontrar almas livres, mas logo se vê quando são."

Charles Bukowski; in Fabulário geral do delírio cotidiano - Parte II (via eu-sem-poesia)

30 7 / 2014

26 7 / 2014

“Toda nossa tradição espiritual o ocidental é baseada no sofrimento, ‘Deus se deleita quando vê os homens sofrendo’, por isso que as pessoas religiosas, quando elas vão fazer promessas, o que é que elas prometem a Deus? Elas poderiam prometer, ‘Senhor, se me concederes essa bênção, eu prometo que todos os dias às 6 horas da tarde vou lhe ler um poema de Fernando Pessoa’, mas ninguém oferece coisa boa pra Deus, oferece o que? Subir 400 degraus de joelhos, a idéia de que Deus é sádico, ele fica feliz quando a gente sofre… e isso é uma coisa tão horrível”. Porque nas escrituras sagradas está escrito que Deus criou um jardim de delícias, nós fomos criados para a felicidade”.



 Rubem Alves, a Antonio Abujamra no programa “Provocações” (513)

“Toda nossa tradição espiritual o ocidental é baseada no sofrimento, ‘Deus se deleita quando vê os homens sofrendo’, por isso que as pessoas religiosas, quando elas vão fazer promessas, o que é que elas prometem a Deus? Elas poderiam prometer, ‘Senhor, se me concederes essa bênção, eu prometo que todos os dias às 6 horas da tarde vou lhe ler um poema de Fernando Pessoa’, mas ninguém oferece coisa boa pra Deus, oferece o que? Subir 400 degraus de joelhos, a idéia de que Deus é sádico, ele fica feliz quando a gente sofre… e isso é uma coisa tão horrível”. Porque nas escrituras sagradas está escrito que Deus criou um jardim de delícias, nós fomos criados para a felicidade”.

Rubem Alves, a Antonio Abujamra no programa “Provocações” (513)

26 7 / 2014

"De vez em quando perguntam-me se acredito em Deus. Mas é claro. Acredito mais que a maioria das pessoas. Tenho até trinta e três nomes para ele. Esses nomes foi a Margueritte Yourcenar que me contou. Ela foi uma escritora maravilhosa, autora do livro Memórias de Adriano, quem lê nunca mais esquece, quer ler de novo. Pois esses são os trinta e três nomes de Deus que ela me ensinou. É só falar o nome, ver na imaginação o que o nome diz, para que a alma se encha de uma alegria que só pode ser um pedaço de Deus… Mas é preciso ler bem devagarinho… 1.Mar da manhã. 2.Barulho da fonte nos rochedos sobre as paredes de pedra. 3.Vento do mar de noite, numa ilha… 4.Abelha. 5.Vôo triangular dos cisnes. 6. Cordeirinho recém-nascido…. 7.Mugido doce da vaca, mugido selvagem do touro. 8.Mugido paciente do boi. 9. Fogo vermelho no fogão. 10.Capim. 11.Perfume do capim. 12.Passarinho no céu. 13.Terra boa… 14.Garça que esperou toda a noite, meio gelada, e que vai matar sua fome no nascer do sol. 15. Peixinho que agoniza no papo da garça. 16. Mão que entra em contato com as coisas. 17.A pele, toda a superfície do corpo 18. O olhar e tudo o que ele olha. 19.As nove portas da percepção. 20.O torso humano. 21.O som de uma viola e de uma flauta indígena. 22.Um gole de uma bebida fria ou quente. 23.Pão. 24.As flores que saem da terra na primavera. 25.Sono na cama. 26. Um cego que canta e uma criança enferma. 27. Cavalo correndo livre. 28.A cadela e os cãezinhos. 29.Sol nascente sobre um lago gelado. 30.O relâmpago silencioso. 31. O trovão que estronda. 32.O silêncio entre dois amigos. 33.A voz que vem do leste, entra pela orelha direita e ensina uma canção…” Agradeço ao Carlos Brandão por haver me apresentado os trinta e três nomes de Deus da Margueritte. Não é preciso que sejam os seus. Faça a sua própria lista. Eu incluiria: Ouvir a sonata Apassionata de Beethoven. Sapos coaxando no charco. O canto do sabiá. Banho de cachoeira. A tela “Mulher lendo uma carta”, de Vermeer. O sorriso de uma criança. O sorriso de um velho. Balançar num balanço tocando com o pé as folhas da árvore… Morder uma jabuticaba… Todas essas coisas são os pedaços de Deus que conheço… Sim, acredito muito em Deus"

Os Trinta e Três Nomes de Deus, Rubem Alves

26 7 / 2014

poeticasvisuais:

Portraits infused with optical illusions by Shupliak Oleg

(Fonte: from89)

26 7 / 2014

letrasinversoreverso:

As várias capas de Admirável mundo novo em língua portuguesa. No Brasil, o livro de Aldous Huxley está entre uma leva de títulos do escritor reeditados pela globolivros 

Admirável mundo novo é uma obra de ficção científica escrita por Aldous Huxley em 1931. O livro retrata uma futura sociedade tecnológica, cujo centro ético é a maneira de produção inaugurada por Ford. Trata-se de um misto de fantasia e sátira. Nessa obra, as críticas à ciência e à tecnologia são evidentes. O cenário retratado é o de uma sociedade organizada  por um sistema científico de castas. Não há vontade livre nem mobilidade entre as castas,  e impera a estabilidade social. Há produção em série do ser humano, de modo que, a partir  da fecundação de um único óvulo, sejam originados 96 gêmeos. Por meio desse processo,  que recebe o nome de Bokanovsky, toda a comunidade é padronizada em grupos uniformes,  provenientes de um único embrião.

Esse livro de Huxley é considerado um clássico sobre o domínio, o futuro e a liberdade. A utilização de uma droga psicotrópica especial, o soma (mistura de cocaína, heroína e álcool), é permitida e indispensável. O objetivo do seu consumo é a não expressão de emoções e a sensação imediata de bem-estar proporcionada aos indivíduos.

Essa obra, então, é uma tentativa de previsão de um futuro dominado pela expressividade da ideia de progresso implementada pela produção em série – quase integralmente pelas técnicas e pelo saber científico –, que resulta em uma sociedade absolutamente mecânica, autoritária e desumanizada. 

(DOS SANTOS, Clemente et al. “Ficção científica e o Admirável Mundo Novo: previsões concretizadas no atual século e considerações bioéticas”. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro).

Leia notas sobre aqui.

26 7 / 2014

"Finjo entender, porque não quero magoar ninguém. Este é o único ponto fraco que tem me levado à maioria das encrencas. Tentando ser bom com os outros, muitas vezes tenho a alma reduzida a uma espécie de pasta espiritual. Deixa pra lá. Meu cérebro se tranca. Eu escuto. Eu respondo. E eles são burros demais para perceber que não estou mais ali."

Charles Bukowski (via palavrisses)

(Fonte: classificar, via cher-la-vie)

26 7 / 2014

"Realmente, quando se observa a vida no seu crisol de dor e de prazeres, não é possível cobrir o rosto com uma máscara de vidro nem impedir que os vapores sulfurosos nos ofusquem o cérebro e nos turvem a imaginação com fantasias monstruosas e sonhos disformes. Há venenos tão sutis que, para os conhecer, cumpre experimentá-los. Há males tão estranhos que, pra lhes entender a natureza, é preciso contraí-los. Ainda assim, que grande recompensa recebe o observador! Em que maravilha se torna o mundo aos seus olhos! Notar a lógica singular e inflexível da paixão, a vida colorida e emotiva da inteligência…verificar onde se cruzam e onde se apartam, que delícia! Que importava o custo? Não há preço demasiado alto para semelhante sensação."

Oscar Wilde. (via cher-la-vie)

26 7 / 2014

(Fonte: cher-la-vie)

26 7 / 2014

"Gosto da forma com que os filósofos destroem conceitos e as teorias que os precederam. Isso tem acontecido há séculos. Não é assim, dizem. É desse jeito. Isto continua sem parar e parece lógica, esta continuidade. O principal problema é que os filósofos devem humanizar sua linguagem, torná-la mais acessível, então os pensamentos se iluminam mais e ficam mais interessantes. Acho que estão aprendendo a fazer isso. A simplicidade é essencial."

Charles Bukowski (via oxigenio-dapalavra)

(via cher-la-vie)